Art journal: o que é e como criar o seu

Art journal: o que é e como criar o seu

0 Flares 0 Flares ×

Muito tem se falado do bullet journal, ou bujo, uma espécie de diário de organização feito manualmente. Mas você já ouviu falar de art journal?

O art journal ou, simplesmente, journaling, é uma modalidade que vem ganhando muitos adeptos no exterior e que, aos poucos está crescendo no Brasil. Entre os benefícios da prática do art journal estão o aumento da clareza, a potencialização da criatividade, o contato com os nossos sentimentos e com a nossa intuição. Antes de explicar, o que é o art journal, quero te convidar a conhecer a origem da palavra journal.

A origem do journal

‘Jour’ significa dia em francês. É daí que vem não apenas a palavra inglesa ‘journal’, que significa diário, como também ‘journey’, que quer dizer jornada ou viagem. E foi exatamente com as grandes viagens que surgiram os primeiros diários: os diários de bordo, onde eram registradas informações bem objetivas como condições climáticas por exemplo.

Com o passar do tempo, os diários foram foram evoluindo e ficando mais pessoais e subjetivos. Hoje, existem vários tipos de journal, entre eles, o bullet journal e o art journal. A viagem que antes era externa se tornou um jornada interna.

O que é o art journal?

Traduzindo literalmente, temos diário de arte. Você pode chamar de caderno artístico, caderno de ideias ou diário criativo. É bom esclarecer que não se trata de um diário tradicional, onde você anota o que aconteceu no seu dia e como você se sentiu.

O art journal é um caderno que une a arte com reflexões. Pintar, desenhar, fazer colagens e escrever são algumas das possibilidades que podem ser exploradas nas páginas desse caderno. Essa mistura de diferentes técnicas artísticas é chamada de mixed media ou mídia mista. Acima de tudo, o art journal é um espaço para se expressar, brincar, experimentar, clarear os pensamentos, aprender e ativar a sua criatividade.

Diferentemente do bullet journal, o art journal não tem como objetivo organizar tarefas e por isso também não possui sistemas ou métodos tão definidos. A ideia do diário criativo é realmente se soltar das regras e deixar a criatividade fluir livremente.

Para o que serve o art journal?

• Explorar a criatividade

O art journal é um espaço para experimentar livremente, testar técnicas e aprimorar habilidades artísticas sem o peso da cobrança ou do olhar externo. É um terreno fértil para soltar a criatividade. Não existe certo ou errado, bonito ou feio no art journal. Mais importante que ter um caderno visualmente lindo é aproveitar o processo como uma oportunidade de aprendizado e crescimento.

• Desenvolver ideias

Muitos artistas ou outros tipos de profissionais criativos usam o art journal também para objetivos mais específicos como, por exemplo, criar soluções para um problema ou mesmo aprimorar ideias já existentes, pensando desde o seu conceito até os seus possíveis desdobramentos.

Neste caso, se o intuito for desenvolver um projeto criativo mais estruturado, o art journal também pode ser associado a algumas outras ferramentas, como, por exemplo, o mapa mental e a criação de mood boards, ou painéis visuais de inspiração.

• Acessar a intuição

Mesmo que você não seja, nem pretenda ser um artista, a arte é um canal poderoso para você entrar em contato com a sua intuição e trazer mais clareza sobre os seus desejos e caminhos a seguir. Com o art journal, você pode ativar áreas pouco utilizadas no cérebro e desenvolver novas formas de enxergar diferentes áreas da sua vida.

• Se conhecer

Cada vez que criamos algo é um passo que damos em direção a nós mesmos. A criatividade e o autoconhecimento estão extremamente conectados. Quanto mais a gente solta a nossa criatividade, mais a gente se conhece e se fortalece. E vice-versa, conhece os nossos recursos, interesses e paixões, mais segurança nós temos para enfrentar os medos e desafios que nos impedem de explorar o nosso potencial criativo.

Kelly Kilmer é uma professora norte americana de art journal. Ela acredita que manter um art journal e trabalhar nele periodicamente faz bem para a nossa alma. “O art journal é um guia de referência. É um espaço de aprendizado. É um local para guardar (ou revelar) segredos, para nos expressarmos, para brincar. É um lugar para registrar, documentar e lembrar. Quanto mais experimentarmos e brincarmos em nosso art journal, mais vamos aprender. Vamos aprender a nos superarmos. Vamos aprender o que funciona e o que não funciona para nós. Vamos desenvolver nossas técnicas e ampliar nossas ideias, memórias e formas de expressão.”

• Relaxar

Alguns estudos têm comprovado atividades artísticas, como o art journal, podem reduzir o nível de estresse e trazer benefícios para a saúde. Isso explica porque é tão comum que a gente se sinta mais leve ao praticá-las.

 

Dicas para criar o seu art journal ou diário criativo

1. Defina o seu objetivo

Como eu listei antes o art journal pode ser utilizado para diversos fins: entrar em o contato com os seus sentimentos, com a intuição e a criatividade, desenvolver habilidades específicas, aprimorar ideias e trazer mais mais relaxamento.

Antes, de começar o seu diário criativo, eu sugiro que você pegue lápis e papel e dedique alguns minutos para se responder porque você quer fazer um art journal.

2. Defina o caderno

O recomendado para o art journal é utilizar um caderno sem pauta. De preferência, escolha um com uma folha mais grossa e resistente, com uma gramatura acima de 180g.

Se quiser utilizar aquarela em suas páginas, o ideal é que ele tenha folhas próprias para isso, ou você terá que tomar muito cuidado com o excesso de água que pode enrugar ou até mesmo rasgar o papel.

Algumas pessoas utilizam livros antigos para fazer seus diários, cobrindo suas páginas com gesso ou mesmo fazendo interferências sobre as páginas originais.

3. Defina as técnicas e materiais

É bom ter em mente, que apesar da possibilidade de misturar inúmeras técnicas e materiais, você não precisa utilizar todas elas sempre. Eu sugiro que você comece escolhendo uma ou duas delas e vá testando outras aos poucos. Eu mesma vario as minhas escolhas de acordo com a minha vontade no dia e do tempo e espaço que tenho disponíveis.

Eu listei algumas das possibilidades abaixo:

• Pintura
Você vai precisar de: pincéis e tinta, eu recomendo a tinta acrílica pois ela não gruda quando uma folha encosta na outra e permite sobreposições de camadas.

• Aquarela
Você vai precisar de: um estojo de aquarela, pincel, um copo com água e um pedaço de tecido ou papel para limpar o pincel.

• Colagem
Você vai precisar de: tesoura, cola (a de bastão enruga menos) e material para recortes, como revistas, livros, papéis coloridos ou estampados, do tipo para scrapbook.

• Desenhos e letterings
Você pode utilizar: lápis de cor, giz de cera, canetinhas hidrocor e canetinhas permanentes (essas últimas resistem à água e costumam escrever melhor sobre a tinta acrílica).

• Outras
Estêncils, carimbos, compassos, réguas e furadores também podem ser utilizados para criar efeitos interessantes. Até mesmo tecidos, fitas, linhas e agulhas são possíveis de serem usados. O céu é o limite!

 

Por onde começar?

Não existe uma ordem correta, mas para guiar você no início eu sugiro que você siga esses passos:

• Tema
Definir um tema para a sua arte. Se você não tiver nada em mente, experimente se fazer alguma pergunta, por exemplo: o que faz os meus olhos brilharem? Ou: o que me impede de ser mais criativo?

• Fundo
Criar um fundo abstrato para a sua arte usando diferentes cores e formas. Ver algumas referências pode te ajudar nesse processo.

• Imagens
Acrescentar ícones ou imagens que tenham a ver com o tema escolhido, podem ser desenhadas ou pintadas por você ou recortadas de revistas.

• Textos
Acrescentar textos sobre o fundo ou interagindo com as imagens.. Você pode escrever direto sobre o seu fundo ou utilizar um papel à parte, recortá-lo e colá-lo depois. A minha sugestão é que você comece por alguma frase ou palavra-chave que te veio à mente enquanto criava o fundo e as imagens, algo que resuma o que você está sentindo ou desejando. A partir disso, você também pode acrescentar outros textos que forem surgindo para você. Você também pode utilizar frases de autores ou músicas que te inspiram. Você pode experimentar diferentes tipos de canetas e formas de escrever as palavras para destacar as ideias principais.

E se você ainda  está esperando algum tipo de permissão para começar logo o seu art journal, no tutorial abaixo, a querida Alice Tischer ensina como fazer o seu “boletim de permissão” e criar um fundo colorido lindo que você pode usar muito no seu diário. Vale a pena assistir ao tutorial e acompanhar o trabalho dela no Laboratório de Criação.

 

No link abaixo, eu separei muitas referências legais de art journal que me inspiram e que, com certeza, vão te inspirar também: bit.ly/diariocriativo

 

 

Não deixe que a falta de algum material ou a inexperiência com alguma técnica te impeça de começar o seu art journal. Reserve um horário do seu dia ou da sua semana para se dedicar ao seu diário criativo e mantenha o seu compromisso com você mesma.

O art journal é um poderoso canal para você se conhecer e se desenvolver.

Quer receber dicas como essa no seu e-mail? Faça o seu cadastro gratuito na Caixa de Waaus. 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Google+ 0 0 Flares ×

Apaixonada por palavras, cores e formas que provocam “waaus”. Facilitadora de fluxos criativos e encantadora de palavras e imagens. Acredito no poder de transformação pela escrita, pela arte e pelo artesanato.