12 curiosidades para os amantes de Frida Kahlo

12 curiosidades para os amantes de Frida Kahlo

81 Flares 81 Flares ×

Frida Kahlo encantou o mundo com suas cores, sua arte, sua história de superação e sua personalidade única.  Para criar a oficina criativa “Eu vejo Frida em você”, eu aprofundei minhas pesquisas sobre essa que foi uma das maiores pintoras latino-americanas. Quanto mais eu sei sobre ela, mais eu me apaixono e tenho vontade de saber. Hoje eu quero compartilhar um pouco do que aprendi com você.

frida_casamento

1. A roupa do casamento

Um vestido branco rendado esperava por Frida no dia de seu casamento com Diego Rivera, em 1929. Insatisfeita, ela pediu emprestado uma roupa emprestada para sua criada indígena. O traje escolhido tinha as cores verde e vermelha, presentes na bandeira mexicana. Esse foi um marco na vida da pintora que, cada vez mais, passou a usar as roupas como uma forma de expressão.

foto 51

2. O estilo

Para Frida, as roupas eram uma linguagem, ela escolhia cada peça de forma planejada e acrescentava seu toque pessoal a elas. Suas roupas vinham de diferentes épocas e partes do mundo, como Europa, Ásia e Guatemala. Porém, seu estilo preferido e mais representado em suas obras foi um típico mexicano, mais especificamente de Tehuantepec. As mulheres desta região, as zapotecas, viviam em uma sociedade matriarcal e participaram ativamente da Revolução Mexicana, o que evidenciava a postura política de Frida, a favor da independência feminina e nacional.  Geralmente, ela usava um conjunto tehuano com saia longa e estampada, uma túnica, chamada de huipil, e rebozo, uma espécie de xale longo. Esse tipo de roupa também permitia que ela disfarçasse a perna mais curta, consequência da pólio, e o corpo fragilizado pelo acidente de bonde e cirurgias.

 

Frida

3. O cabelo

Além das roupas, Frida chamava atenção pelos penteados exóticos. Alguns deles eram tradicionais tehuanos e outros foram criados por ela mesma. Frida gostava de usar os cabelos presos com tranças, fitas coloridas, e com flores naturais, como rosas, flamboyant, margaridas, crisântemos e brincos de princesa, entre outras. Sua paixão pelas flores era tanta que uma vez disse: “Pinto as flores, assim elas não morrem.”

 

Frida


4. As joias

Suas joias também atraiam muitos olhares. Dizem que ela usava peças de todo tipo, desde contas de vidro baratas a colares pré-colombianos de jade, colares de ouro e brincos pendentes coloniais. Muitas delas foram presentes de Diego. A quantidade de anéis e pulseiras também era sua marca registrada.

 

Frida
5. As coleções

Frida era uma grande colecionadora. Entre seus objetos preferidos estavam ex-votos, que são presentes dado pelos fiéis ao seu santo de devoção, peças de arte popular, fotografias e, claro,  vestidos, foram encontrados mais de 300 deles na casa onde viveu.

 

foto 5

6. A Casa Azul

Dois anos antes do nascimento de Frida, seus pais se mudaram para a casa em Coyoacán, um dos bairros mais antigos da Cidade do México.  Foi lá que ela nasceu e passou a infância e adolescência. Frida se mudou após o casamento com Diego Rivera. Após 10 anos, divorciada, ela voltou a viver na Casa Azul. Ela e Diego se casaram novamente, pouco tempo depois, e ele se mudou para lá. Desde 1958, a casa se tornou o Museu Frida Kahlo, onde muitos dos cômodos permanecem intactos.

 

foto 3

7. A ponte

Frida e Diego viveram na casa que era o estúdio dele, em San Angel, na Cidade do México. Mais tarde, ela construiu uma casa ao lado da dele. As duas casas eram idênticas e ligadas uma à outra por uma ponte, a vermelha era de Diego e a azul a de Frida.  Eles eram marido e mulher, mas viviam separados. Nas madrugadas, eles cruzavam a ponte e se encontravam em uma das casas.

 

Frida e André Brteon / Ela com Trostsky

8. Personalidades

Graças a influência inicial do marido, que era um famoso muralista, Frida fez parte de um cenário cultural efervescente, no qual foi conquistando o próprio espaço. Além de hospedar o marxista russo Leon Trotski, Frida recebeu em sua casa o pintor surrealista André Bretón e ganhou de Picasso um brinco de presente. Algumas das outras personalidades mundialmente famosas que ela conheceu foram Kandinsk, Marcel Duchamp, Sergei Eisentein, Paulette Goddard e Henry Ford. (Na primeira foto, ela com Bretón e, na segunda, ela com Tróstky e a esposa dele.)

 

foto6

9. Frida na moda

Décadas após a sua morte, Frida Kahlo se tornou um ícone de moda e influenciou a criação de diversos estilistas e designers no mundo inteiro. Dolce e Gabana, Moschino, Christian Lacroix, Jean Paul Gaultier, McQueen e Riccardo Tisci foram algumas das grifes que se deixaram seduzir pela mexicana.

 

 

10. Frida na música

A mexicana também inspirou criações na área da música. O título do álbum “Viva la Vida or Death and All His Friends” da banda inglesa Coldplay foi inspirado no quadro “Viva La Vida” de Frida. Ela também está presente na música “Esquadros” de Adriana Calcanhoto: “Eu ando pelo mundo / Prestando atenção em cores / Que eu não sei o nome / Cores de Almodóvar / Cores de Frida Kahlo / Cores!”. Elliot Goldenthal, por sua vez, ganhou o Oscar pela trilha sonora original criada para o filme Frida (2002) que teve, inclusive, participação de Caetano Veloso, em dueto com Lila Downs.

 

Frida

11. Frida na fotografia

Muitos ensaios foram feitos em homenagem à Frida. Eu destaco o “Todos podem ser Frida“, da fotógrafa brasileira Camila Fontenele. O projeto que começou com um ensaio, no qual homens foram transformados em Frida. Para isso, foram utilizados cinco sentimentos e acontecimentos presentes na vida da pintora: amor, dor, inteiro, cores e aborto. O resultado ficou tão incrível que virou um livro e intervenções, onde todo mundo pôde se sentir um pouco Frida: homens e mulheres, crianças e velhos.

E os fãs de Frida comemoraram a notícia da primeira exposição  fotográfica inteiramente dedicada à pintora no Brasil. Sortudos aqueles que vivem em Curitiba. A mostra será no Museu Niemayer, em julho deste ano.

 

foto 1

12. Frida na literatura

Frida também foi o tema de diversos livros, desde biografias até livros infantis. Uma nova publicação para as crianças chamou a minha atenção. “Os Vestidos de Frida” é um projeto que está sendo financiado coletivamente pelo Catarse. Escrito por Christine Ferreira Azzi e ilustrado por Juliana Fiorese, o livro vai contar a história da artista mexicana Frida Kahlo. O olhar das criadoras está voltado especialmente às roupas da mexicana e ao seu estilo autêntico de se mostrar ao mundo. Segundo elas, as roupas e arte de Frida se misturavam, eram uma forma de expressar sua criatividade e mostrar ao mundo o que ela pensava. Os traços e as cores já me conquistaram. Quem quiser contribuir, dá uma olhada.

 

Foi bem difícil selecionar apenas 12 curiosidades para contar pra vocês. O universo de Frida é tão rico que eu poderia ficar aqui falando por horas. Superação, autenticidade, liberdade, autoestima, coragem, autenticidade e criatividade, tudo isso tem a ver com essa mulher incrível. E toda mulher tem um pouco de Frida dentro de si.

FBVejoFrida

Quem quiser conhecer mais sobre a trajetória dela, refletir um pouco sobre suas próprias experiências e criar uma boneca inspirada por ela, ainda dá tempo de se inscrever para a oficina criativa “Eu vejo Frida em você”, são as últimas vagas. Será neste sábado, no Balaio de Gato, Rua Piauí, 1052, em Belo Horizonte. Inscrições através de danibrandao@waau.com.br.

E nada melhor do que encerrrar com as palavras de Frida: “Pés para que, se tenho asas pra voar?”

 

81 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 56 Google+ 25 81 Flares ×

Apaixonada por palavras, cores e formas que provocam “waaus”. Facilitadora de fluxos criativos e encantadora de palavras e imagens. Acredito no poder de transformação pela escrita, pela arte e pelo artesanato.